ATLÉTICO PARANAENSE PARTICIPOU DO LANÇAMENTO DO PROGRAMA BIOMETRIA NOS ESTÁDIOS

ATLÉTICO PARANAENSE PARTICIPOU DO LANÇAMENTO DO PROGRAMA BIOMETRIA NOS ESTÁDIOS

43922_15004826820_thumb-5-3Créditos: Fabio Wosniak/Site Oficial

O presidente do Conselho Administrativo do Atlético Paranaense, Luiz Sallim Emed, participou nesta terça-feira (18) do lançamento do projeto Biometria nos Estádios e Grandes Eventos.

O programa será implantado através de convênio entre Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), Secretaria de Segurança Pública (SESP), Instituto de Identificação do Paraná, DETRAN-PR e CELEPAR. A cerimônia aconteceu no Palácio da Justiça, sede do TJ-PR.

O programa cria um sistema de consulta aos cadastros de órgãos públicos com intuito de aumentar a segurança em jogos de futebol e outros eventos com grande concentração de pessoas pela identificação biométrica dos torcedores ou espectadores.

“O Estado do Paraná mais uma vez sai na frente. Essa é uma característica deste estado, desta cidade e também do nosso clube. Esse convênio é um benefício para toda a sociedade, no sentido de evitar a violência e também evitar que as pessoas sejam exploradas pela ação dos cambistas, pagando preços abusivos por ingressos”, disse Sallim.

A 2ª Vice-Presidente do TJ-PR, Desembargadora Lidia Maejima, também destacou o pioneirismo do projeto. “Colocaremos à disposição de todos os clubes e promotores de grandes eventos um sistema que, sem descuidar da privacidade dos cidadãos, integra os bancos de dados e informações biométricas e cruza com os dados disponibilizados pelo TJ-PR através dos juizados criminais ou das varas criminais”, afirmou.

O sistema vai interligar as catracas dos estádios ou locais de shows aos bancos de dados do DETRAN-PR e do Instituto de Identificação. No momento em que o espectador colocar sua digital no leitor biométrico, um conjunto de códigos vai informar se a pessoa é a titular do cartão ou ingresso e também se há contra ela mandado de prisão em aberto ou restrição para entrada no estádio, devido a alguma pena no âmbito do programa Justiça ao Torcedor.

“Não haverá o acesso a esses dados por particulares. A CELEPAR vai disponibilizar um webservice com todos esses dados, de forma que na catraca haverá apenas uma consulta. Se tiver algum mandado em aberto, a Polícia Militar será acionada. No caso de alguma restrição, será impedida sua entrada no estádio”, explicou o juiz auxiliar da 2.ª Vice-Presidência do TJ-PR, Ricardo Ferreira Jentzsch.

Segundo o secretário estadual de Segurança Pública, Wagner Mesquita de Oliveira, o sistema ajudará a prevenir a violência. “O maior ganho para a segurança pública é a prevenção. Com o indivíduo já sabendo que o grau de exigência para que ele adentre ao estádio será maior, que sua identificação será confrontada com dados judiciais e policiais, isso trará imediatamente um aumento de segurança dentro do evento e fora também”.

A previsão é que o sistema com o banco de dados esteja à disposição dos clubes a partir do segundo turno do Campeonato Brasileiro. No Estádio Atlético Paranaense, o acesso biométrico em todos os setores será implantado a partir do dia 15 de agosto.

43922_15004826831_thumb-5-3Créditos: Fabio Wosniak/Site Oficial

ESTÁDIO ATLÉTICO PARANAENSE SEDIOU A LIGA MUNDIAL DE VÔLEI

ESTÁDIO ATLÉTICO PARANAENSE SEDIOU A LIGA MUNDIAL DE VÔLEI

Durante cinco dias, o Estádio Atlético Paranaense foi palco de mais um evento internacional. A Liga Mundial de Vôlei reforçou o conceito multiuso do estádio. Cerca de 70 mil pessoas marcaram presença no estádio entre os dias 5 e 8 de julho. A Liga Mundial foi transmitida para mais de 20 países, atingindo milhões de espectadores nos cinco continentes.

Os representantes da Federação Internacional de Voleibol [FIVB] e da Confederação Brasileira de Voleibol [CBV] aprovaram a realização da Liga Mundial no estádio atleticano. Eles elogiaram a estrutura montada e toda a operação do estádio nos cinco dias de jogos.

“A CBV, a FIVB e o Atlético se uniram porque temos aqui o estádio mais moderno do Brasil. Isso facilitou demais a adaptação para receber as finais da Liga Mundial. Felizmente, o Brasil conseguiu corresponder em quadra todo o esforço que foi feito do lado de fora e pudemos ter este público maravilhoso na decisão”, disse o presidente da CBV, Radamés Lattari.

O ex-jogador e campeão olímpico Giba, atual presidente da Comissão de Atletas da FIVB, prometeu trabalhar para que a experiência se repita. “A FIVB está muito feliz. O estádio está maravilhoso e nesta semana fizemos várias ações pela cidade, mostrando para as crianças a importância do vôlei. Temos que agradecer ao Atlético e sua torcida. Lá em Lausanne, na Suíça, vou fazer de tudo para que essa parceria dure por muitos anos”.

Para o presidente do Conselho Administrativo do Atlético Paranaense, Luiz Sallim Emed, foi uma honra para o Clube receber uma das principais competições esportivas do mundo. “É uma situação maravilhosa estar aqui em nosso estádio e ver a concretização do nosso projeto e daquilo que foi idealizado pelo Mario Celso Petraglia. É o Atlético, Curitiba, e o Paraná levando essa maravilha para o mundo todo”, ressaltou.

Além de divulgar o estádio e a marca atleticana para o mundo, o evento foi uma grande oportunidade de promoção e turismo para Curitiba. “Ficou inequívoca a versatilidade do estádio. Foi um evento de grande envergadura, com repercussão global, com cinco dias de elogios e agradecimentos à estrutura oferecida pelo Clube Atlético Paranaense, vindos de todos os setores da FIVB, CBV, imprensa e telespectadores. O retorno para o Clube, para a cidade, para o Estado e para o nosso país é intangível”, destacou o Arquiteto Luiz Volpato.

Para o Secretário Estadual de Esporte e Turismo, Douglas Fabrício, a realização da Liga Mundial foi mais uma prova da importância do legado da Copa do Mundo de 2014 para o Paraná. “Aqui o dinheiro foi muito bem investido. Temos um estádio que todo mundo está utilizando, para os jogos do Atlético e muitos outros eventos, que ajudam a desenvolver o turismo e a trazer renda, recursos e, com isso, empregos para o povo do Paraná”, disse.

O Secretário Municipal do Esporte, Lazer e Juventude, Marcello Richa, disse que a Liga Mundial de Vôlei mostrou que Curitiba tem capacidade para receber grandes eventos. “Com esse torneio, conseguimos engrandecer nossa agenda esportiva e fortalecer o turismo, o que só foi possível graças a parceria entre o poder público, entidades e iniciativa privada”, completou.

Na noite deste sábado (9), a França se sagrou campeã da Liga Mundial 2017, ao vencer o Brasil por 3 sets a 2. Foi o segundo título francês na Liga Mundial, ambos conquistados no Brasil.

Galeria de Fotos:

Créditos: Roberto Souza/Site Oficial

CAT DO ATLÉTICO PARANAENSE RECEBEU O CATAPULT PERFORMANCE WORKSHOP

CAT DO ATLÉTICO PARANAENSE RECEBEU O CATAPULT PERFORMANCE WORKSHOP

O CAT Alfredo Gottardi recebeu, nesta segunda (7) e terça-feira (8), o Catapult Performance Workshop. O evento, sobre a utilização da ferramenta Catapult, reuniu profissionais do meio esportivo para palestras sobre o assunto.

O Catapult é um sistema avançado de análise de performance do atleta, já utilizado pelo Atlético Paranaense. Através dele, é possível ter métricas sobre o desempenho dos jogadores e também uma visão do risco de lesão de cada atleta durante as atividades. Atualmente, a marca está presente em 35 esportes e com aproximadamente 950 clientes, incluindo o Rubro-Negro e a Seleção Brasileira de futebol.

No auditório do CAT atleticano, os assuntos tratados foram segmentados em cinco tópicos: pré-temporada, pesquisa científica, gerenciamento de cargas nos treinos, dados nos dias de jogo e prevenção de lesões. A abertura do workshop aconteceu com o Gerente de Desenvolvimento de Negócios da Europa e América Latina da Catapult, Henrique Ortigao, que comentou a importância do evento.

“O objetivo é trazer os nossos clientes e compartilhar as informações do dia a dia de cada um, para assim os profissionais otimizarem seus trabalhos e melhorarem o rendimento”, destacou. “O clube é fantástico e tem uma instalação como poucos clubes têm. Os profissionais do Atlético Paranaense são inovadores e sempre estão buscando novas ideias e dispostos a fazer todo o trabalho para melhorar cada vez mais os resultados”, elogiou Ortigao.

Para André Fornaziero, fisiologista do Atlético Paranaense, as palestras são importantes para a marca Catapult e para a carreira profissional dos participantes. “O evento acontece anualmente em centros importantes para difundir a marca e auxiliar os clientes a melhorar a utilização dessa ferramenta”, disse. “É um workshop técnico para entender quais são todas as funcionalidades da ferramenta e como reverter os dados em resultados positivos”, acrescentou.

Um dos palestrantes foi Tom Joel, da equipe do Leicester City, campeão da Premier League da última temporada. “É muito bom ter a presença de pessoas de outros clubes, países e com diferentes metodologias”, afirmou Tom. “O Catapult auxilia no desenvolvimento das equipes. Hoje em dia, no esporte, é importante conhecer cada movimento do atleta para buscar o melhor rendimento”, completou.

Além do representante da Catapult, Henrique Ortigao, do cientista esportivo do Leicester City, Tom Joel, e do fisiologista do Rubro-Negro, André Fornaziero, também ministraram palestras no workshop o fisiologista Felipe Rabelo, do Atlético Paranaense, Bredan Fahrner, do Richmond [Austrália], Hugo Folgado, da Universidade de Évora [Portugal], Matt Spencer, da Norwegian School of Sports Sciences [Noruega], e Guilherme Passos, da Seleção Brasileira.

42046_14786210772_thumb-5-3

Créditos: Marco Oliveira/Site Oficial

Orlando City SC anuncia parceria com o Atlético Paranaense

Orlando City SC anuncia parceria com o Atlético Paranaense

ORLANDO, Flórida (01 de novembro de 2016) – Orlando City SC anuncia que realizou uma parceria com o Clube Atlético Paranaense, equipe da Série A do Campeonato Brasileiro. A parceria técnica conecta o Orlando City com um Clube, que possui um centro de treinamento de alto nível mundial e uma das melhores formações de atletas do país.

“Estamos orgulhosos da parceria com o Atlético Paranaense, um clube com mais de 90 anos de história”, disse Phil Rawlins, fundador e presidente do Orlando City. “Além de seu sucesso em campo, eles possuem um vasto conhecimento sobre o processo de desenvolvimento bem sucedido na formação, à frente de um centro de treinamento de alto nível.”

Como parte da parceria, o Atlético Paranaense vai visitar o Orlando City para um amistoso em fevereiro de 2017. O Orlando City também vai jogar um amistoso em Curitiba na sua pré-temporada de 2018. Detalhes adicionais dos amistosos serão anunciados, quando estiverem disponíveis.

“A parceria entre CAP e Orlando City oferece às Instituições excelente oportunidade de troca de experiências em vários aspectos: infraestrutura do Centro Administrativo e Técnico e do Estádio, a formação de novos atletas, intercâmbio de atletas entre os Clubes, consolidação da formação de jovens atletas, pois devem adquirir experiência de conviver no exterior com novas tecnologias e ainda há um crescimento como atleta e como pessoa. Outro aspecto importante é aprender como incrementar o show antes durante e depois das partidas. Enfim, uma gama de oportunidades que serão consolidadas para benefício de todos. Estamos muito felizes com a parceria e o Atlético Paranaense será o primeiro Clube parceiro do Orlando City na América Latina”, afirmou o presidente do Conselho Administrativo do CAP, Luiz Sallim Emed.

Fundado em 1924, o Atlético Paranaense tem desfrutado de muitos sucessos em nível local, nacional e internacionalmente. O CAP venceu o Campeonato Brasileiro da Série A em 2001 e ganhou 23 Campeonatos Paranaenses. O Furacão foi vice-campeão na Copa Libertadores de 2005, mais prestigiado torneio de clubes da América do Sul, e chegou à semifinal da Copa Sul-Americana de 2006, segundo mais importante torneio de clubes do continente.

Além de seu sucesso em campo, o Atlético Paranaense também desenvolveu uma das melhores infraestruturas de futebol em todo o Brasil. Com 43 mil lugares, o Estádio Atlético Paranaense, estádio do Clube, foi o primeiro da América do Sul com um teto retrátil, tendo sido sede de quatro jogos na Copa do Mundo da FIFA de 2014. O gramado do Estádio é artificial, tendo o sido o primeiro no Brasil. O Centro Administrativo e Técnico Alfredo Gottardi é conhecido como o melhor do país – com 220 m2, oito campos oficiais, um mini-estádio, dois hotéis, dois restaurantes, duas piscinas termais, bem como um ginásio coberto com grama artificial, instalação de sala de musculação e lavanderia.

A parceria complementa as já existentes do Orlando City com os portugueses do S.L. Benfica e com o Stoke City FC, do Campeonato Inglês, pela expansão da rede do Clube na América do Sul.

parceria-cap-orlando

Sobre Orlando City SC:

Depois de vencer três Campeonatos USL-Pro em um período de quatro anos, o Orlando City SC rapidamente definiu o padrão para os clubes profissionais de futebol, dentro e fora do campo, e foi premiado com a 21ª franquia da Major League Soccer (MLS), em 19 de novembro de 2013. O clube começou a disputar a MLS na Central Florida, em 2015, estabelecendo recordes de público da liga em sua primeira temporada e recebeu mais de 60.000 fãs nas aberturas das temporadas de 2015 e 2016. O Lions, que atualmente detêm a segunda maior média de público no campeonato, vai começar a jogar, na temporada de 2017 da MLS, em um estádio privado, inovador, no centro da cidade.

Orlando City SC também atua com o Orlando Pride na National Women’s Soccer League (NWSL) e com o Orlando City B na United Soccer League (USL), ambos começaram em 2016. Para mais informações visite www.orlandocitysc.com, www.orlandopride.com ou www.orlandocityb.com

Sobre o Clube Atlético Paranaense:

O Clube Atlético Paranaense se destaca por sua excelente estrutura e pela qualidade de seus trabalhos e gestão. Possui um dos mais modernos estádios da América Latina, o Estádio Atlético Paranaense, que recebeu quatro jogos da Copa do Mundo de 2014. Também possui o mais moderno Centro Administrativo e Técnico do país, o CAT Alfredo Gottardi. O Estádio é o primeiro estádio da América Latina e o primeiro do Hemisfério Sul (construído para o futebol) que possui a tecnologia retrátil em seu teto. Outra tecnologia inédita no Brasil, o estádio possui gramado sintético com certificado FIFA Pro (o mais alto nível de certificação FIFA).

Em campo, o Furacão tem conquistado títulos importantes em nível estadual, nacional e internacional. Dentre eles está a principal conquista da história do Atlético: o título do Campeonato Brasileiro da Primeira Divisão, em 2001. O Clube ainda teve outras grandes conquistas depois. Em 2004, foi vice-campeão Brasileiro, em 2005, foi vice-campeão da Copa Libertadores da América (Torneio internacional que o Furacão participou quatro vezes em 2000, 2002, 2005 e 2014) e, em 2013, foi vice-campeão da Copa do Brasil. Em 2006, o Atlético Paranaense chegou às semifinais da Copa Sul-Americana.

FESTIVAL ENCERROU CURSO DE DESENVOLVIMENTO DE TREINADORES COMUNITÁRIOS NO CAT ALFREDO GOTTARDI

FESTIVAL ENCERROU CURSO DE DESENVOLVIMENTO DE TREINADORES COMUNITÁRIOS NO CAT ALFREDO GOTTARDI

Resultado de uma parceria entre o Atlético Paranaense, o British Council e a Premier League, a segunda etapa do curso de desenvolvimento de treinadores comunitários de futebol foi encerrada com um festival no último sábado (29), no CAT Alfredo Gottardi. O evento teve início em 24 de outubro e teve como objetivo desenvolver habilidades e conhecimentos individuais dos técnicos e capacitá-los para a formação de jovens treinadores e no planejamento de ações comunitárias que empregam o futebol como um meio para transformar vidas.

Dezoito técnicos da Escola Furacão, além de profissionais que atuam nas ONGs Lionsraw e Futebol de Rua de Curitiba e treinadores de projetos apoiados pelo Premier Skills [fruto global da parceria entre o British Council e a Premier League], participaram das atividades, que foram ministradas por Jeremy Weeks, treinador sênior da Premier League. Ele foi auxiliado por Jonathan Garside, técnico do Everton FC.

No último sábado (29), o curso foi encerrado com a participação de alunos de projetos sociais da Escola Furacão e a presença do presidente do Conselho Administrativo do Clube, Luiz Sallim Emed. Em um festival, os treinadores tiveram a oportunidade de aplicar os métodos repassados durante a semana.

“Foi muito legal. Vir ao CAT do Caju é um sonho para eles [alunos dos projetos sociais]. É um envolvimento que mostra que o Atlético Paranaense tem desenvolvido um trabalho social importante”, destacou Ricardo Silva, gerente da Escola Furacão.

Jeremy Weeks, treinador da Premier League, avaliou os trabalhos realizados durante o curso e o trabalho social do Rubro-Negro. “As instalações do Clube são simplesmente maravilhosas. Elas só agregam ao que tem sido feito”, afirmou. “O Clube tem uma visão que transcende o futebol e tem uma preocupação grande com a comunidade e o uso do futebol como ferramenta para o desenvolvimento da comunidade”, acrescentou Weeks.

Gerente de projetos do British Council, Ana Bessa também destacou o resultado do segundo treinamento realizado no CAT do Caju. “Foi incrível, um sucesso tremendo. Para nós, é uma satisfação conseguir este resultado. Esperamos que isso dê muitos frutos e que outras crianças e outros treinadores possam se beneficiar deste programa”, concluiu.

 

British Council, Premier League e CAP oferecem treinamento sobre futebol e comunidade em Curitiba

British Council, Premier League e CAP oferecem treinamento sobre futebol e comunidade em Curitiba

A ação faz parte do programa Premier Skills, que usa o futebol como ferramenta para o desenvolvimento social e comunitário ao redor do mundo

41866_14763809420_thumb-5-3

Entre os dias 24 e 29 de outubro, dois treinadores britânicos da Premier League, a liga profissional de futebol da Inglaterra, estarão em Curitiba para ministrar a segunda etapa do curso de desenvolvimento de treinadores comunitários de futebol. Os participantes do curso são treinadores que atuam nas Escolas Furacão do Clube Atlético Paranaense, nos projetos sociais das ONGs Lionsraw e Futebol de Rua de Curitiba e nos projetos apoiados pelo Premier Skills no Rio de Janeiro e São Paulo. O curso tem como objetivo desenvolver as habilidades e conhecimentos individuais dos treinadores e capacitá-los para formação de jovens treinadores e planejamento de ações comunitárias que empregam o futebol como um meio para transformar vidas e contribuir para o desenvolvimento de comunidades mais fortes e seguras.

A iniciativa faz parte do Premier Skills, fruto da parceria global entre o British Council e a Premier League. O programa usa o futebol como uma ferramenta para criar um futuro melhor para jovens ao redor do mundo, combinando o alcance do British Council com o apelo global da Premier League. Desde o início do Premier Skills em 2007, 6.300 treinadores e árbitros foram treinados em 29 países, que localmente alcançaram milhões de jovens. No Brasil, são apoiados projetos em Curitiba, através da parceria com o Clube Atlético Paranaense, e também no Rio de Janeiro e em São Paulo.

O curso em Curitiba será liderado por Jeremy Weeks, um treinador sênior da Premier League. Ele será auxiliado pelo treinador comunitário Jonathan Garside, do clube Everton, de Liverpool. Raphael Silva, treinador do projeto Premier Skills Escola da Família de São Paulo, participou da primeira etapa do curso em fevereiro e diz que está muito grato e feliz pela oportunidade de enriquecer ainda mais seus conhecimentos: “Farei o meu melhor para ampliar o impacto do Premier Skills em minha escola e comunidade”, afirmou Raphael.

O treinamento será encerrado com um festival comunitário e torneio de futebol no dia 29 de outubro, com a participação de 80 crianças das Escolas Furacão. Os treinadores participantes receberão certificados em cerimônia com a presença de Luiz Sallim Emed, presidente do Conselho Administrativo do Atlético Paranaense, e jogadores do elenco principal do Clube. “Acredito que damos um grande passo ao trazer a experiência de técnicos da Premier League. Sem nenhuma dúvida, todos os projetos sociais do Atlético Paranaense que participarão do curso levarão um aprendizado único para aplicar nas Escolas Furacão e em suas sociedades. O Clube está muito feliz com esta parceria”, destaca Ricardo Silva, gerente da Escola Furacão.

Para Richard Scudamore, presidente da Premier League, “os clubes da Premier League tem uma reputação de longa data por desenvolverem programas de alta qualidade em comunidades no Reino Unido. Considerando nosso alcance internacional, faz todo sentido que possamos disseminar estes objetivos globalmente através do Premier Skills, que já formou mais de 6.300 novos treinadores e árbitros comunitários em 29 países. Certamente os participantes irão se beneficiar muito com a experiência do treinamento.”

Serviço

Festival e Torneio

29 de outubro de 2016 – de 9h às 13h

Centro Administrativo e Técnico Alfredo Gottardi (CAT do Caju)

Sobre o Premier Skills

O programa Premier Skills é uma parceria global entre a Premier League e o British Council e utiliza o futebol como ferramenta para engajar e desenvolver habilidades de jovens em todo o mundo. O Premier Skills combina a comprovada experiência da Premier League em projetos de futebol comunitário com a presença global e experiência no desenvolvimento e implementação de projetos culturais e educacionais do British Council.

Sobre o British Council

O British Council é a organização internacional sem fins lucrativo do Reino Unido para relações culturais e oportunidades educacionais. Seu trabalho busca estabelecer a troca de experiências e criar laços de confiança por meio do intercâmbio de conhecimento e de ideias entre pessoas ao redor do mundo. A organização está presente em mais de 100 países e trabalha com parceiros como os governos em diversas instâncias, organizações não-governamentais e iniciativa privada, em ações relacionadas à promoção da língua inglesa, cultura, artes, educação e programas sociais.  Informações: http://www.britishcouncil.org.br/  

Sobre a Premier League

A Barclays Premier League é o evento esportivo anual mais assistido no mundo. Na última temporada, 13.9 milhões de fãs compareceram a partidas com uma ocupação recorde do estádio de 95.9%. Em nove meses do ano, 380 partidas foram vistas em 185 países com cobertura para mais de 730 milhões de domicílios. Para mais informações sobre os programas comunitários da Premier League, siga @PLCommunities no Twitter.