Estádio Atlético Paranaense recebe certificação internacional LEED

Estádio Atlético Paranaense recebe certificação internacional LEED

atletico_certificate_high-res

O Estádio Atlético Paranaense recebeu mais uma importante certificação internacional, o certificado LEED [Leadership in Energy and Environmental Design] 2009 New Construction and Major Renovations. Receber esta certificação é de extrema importância para o Estádio Atlético Paranaense, já que poucos estádios em todo o mundo receberam este reconhecimento que atesta a adoção de conceitos de sustentabilidade.

A certificação do estádio atleticano se enquadrou na categoria Silver, com 50 pontos. Certificação voluntária, desenvolvida pela instituição americana U.S Green Building Council [USGBC], a LEED tem como objetivo incrementar o desempenho de edifícios em eficiência energética, gestão de recursos hídricos, redução das emissões de CO2, qualidade de ar interno e a gestão de recursos naturais.

O sistema de classificação LEED oferece uma estrutura clara e concisa que permite identificar e implementar padrões passíveis de medição durante as fases de projeto, construção, operação e manutenção. Ao mesmo tempo, sua flexibilidade permite que as diversas partes envolvidas decidam de que maneira pretendem atender aos requisitos LEED. Ademais, os critérios e estratégias deste sistema também servem como uma ferramenta poderosa para orientar e melhorar os padrões de qualidade de projetos e construções.

O Estádio Atlético Paranaense se destaca em pontos como a eficiência do uso de água, redução no consumo de energia, além de terrenos sustentáveis, qualidade do ambiente interno e inovação e design. Durante as reformas de ampliação e construção, a CAP S/A deu ênfase na reciclagem e reutilização dos resíduos utilizados na obra (75% dos materiais utilizados) e ao uso de matérias-primas certificadas.

O processo de certificação começou com o projeto da reforma do Estádio em 2011 para atender aos requisitos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da FIFA. Este processo evoluiu paralelamente com a execução da obra até o início da Copa do Mundo de 2014. Posteriormente aos jogos do Mundial, o processo foi reativado dando sequência à finalização das obras definidas no plano de certificação, que foi concluído no final de novembro de 2017.

As decisões de projeto foram direcionadas para atender as normas internacionais de eficiência energética definidas pela USGBC. Diversas medidas de projeto e de execução foram aplicadas para atender os requisitos de eficiência definidos. Cabe destacar que o Estádio em termos globais consegue uma redução de consumo de energia de 19,6%.

Confira outros pontos de destaque:

– Estrutura existente e reforma
O projeto manteve 82% das estruturas originais do Estádio conseguindo aumentar a capacidade de 28.000 para 43.000 lugares, considerando os padrões de conforto FIFA definidas na Green Guide e as normativas do Corpo de Bombeiros.

– Reaproveitamento de águas pluviais
O sistema de captação pluvial da cobertura acumula água de chuva em diversos reservatórios subterrâneos dispostos em volta do campo. Esta água é reaproveitada no campo de jogo e no sistema hidráulico paralelo de descargas dos vasos, provocando uma redução no consumo de 78,48%. O consumo das torneiras está regulado por arejadores que controlam a vazão e por temporizadores eletrônicos.

– Resíduos de obra
Dos resíduos gerados durante a execução da obra, 77,3% foram reciclados ou reusados. O gerenciamento de matérias residuais ocorreu no período de obra completo.

– Energia elétrica
A instalação de painéis fotovoltaicos provoca uma redução no consumo de 5,53%. Esta redução se complementa com a instalação de sensores de presença nas circulações gerais do Estádio. Cabe destacar o uso de iluminação LED no 100% dos espaços e circulações.

– Qualidade do ar
Todos os ambientes foram projetados para cumprir com normas internacionais de qualidade do ar. Em vários casos foram instalados sistemas de exaustões e ventilações mecânicas para atingir o padrão descrito pela USGBC.

– Estacionamento
Foram dispostas vagas de estacionamento para veículos eficientes e veículos de carona junto com a execução de bicicletários a fim de incentivar a mobilidade eficiente dos usuários das instalações.

Em relação aos estádios brasileiros construídos para a Copa do Mundo de 2014, o Estádio Atlético Paranaense está na quinta colocação na pontuação da certificação LEED.

Confira o ranking abaixo:

ESTÁDIOS COPA DO MUNDO

1º – Estádio Mineirão, Belo Horizonte: 81 pontos, certificação Platinium
2º – Arena Pernambuco, Recife: 59, pontos, certificação Silver
3º – Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro: 58 pontos, certificação Silver
4º – Arena Fonte Nova, Salvador: 53 pontos, certificação Silver
5º – Estádio Atlético Paranaense, Curitiba: 50 pontos, certificação Silver
6º – Estádio das Dunas, Natal: 48 pontos, certificação Básica
7º – Estádio Castelão, Fortaleza: 46 pontos, certificação Básica
8º – Arena Corinthians, São Paulo: 45 pontos, certificação Básica
9º – Arena Amazônia, Manaus: 41 pontos, certificação Básica
10º – Estádio Beira-Rio, Porto Alegre: Certificado (sem informações no site da USGBC)
11º – Estádio Nacional de Brasília, DF: Certificação em progresso
12º – Arena Pantanal, Cuiabá: Certificação em progresso

Segue abaixo o Scorecard do Estádio Atlético Paranaense.

U.S. Green Building Council

ATLÉTICO PARANAENSE PARTICIPOU DO LANÇAMENTO DO PROGRAMA BIOMETRIA NOS ESTÁDIOS

ATLÉTICO PARANAENSE PARTICIPOU DO LANÇAMENTO DO PROGRAMA BIOMETRIA NOS ESTÁDIOS

43922_15004826820_thumb-5-3Créditos: Fabio Wosniak/Site Oficial

O presidente do Conselho Administrativo do Atlético Paranaense, Luiz Sallim Emed, participou nesta terça-feira (18) do lançamento do projeto Biometria nos Estádios e Grandes Eventos.

O programa será implantado através de convênio entre Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), Secretaria de Segurança Pública (SESP), Instituto de Identificação do Paraná, DETRAN-PR e CELEPAR. A cerimônia aconteceu no Palácio da Justiça, sede do TJ-PR.

O programa cria um sistema de consulta aos cadastros de órgãos públicos com intuito de aumentar a segurança em jogos de futebol e outros eventos com grande concentração de pessoas pela identificação biométrica dos torcedores ou espectadores.

“O Estado do Paraná mais uma vez sai na frente. Essa é uma característica deste estado, desta cidade e também do nosso clube. Esse convênio é um benefício para toda a sociedade, no sentido de evitar a violência e também evitar que as pessoas sejam exploradas pela ação dos cambistas, pagando preços abusivos por ingressos”, disse Sallim.

A 2ª Vice-Presidente do TJ-PR, Desembargadora Lidia Maejima, também destacou o pioneirismo do projeto. “Colocaremos à disposição de todos os clubes e promotores de grandes eventos um sistema que, sem descuidar da privacidade dos cidadãos, integra os bancos de dados e informações biométricas e cruza com os dados disponibilizados pelo TJ-PR através dos juizados criminais ou das varas criminais”, afirmou.

O sistema vai interligar as catracas dos estádios ou locais de shows aos bancos de dados do DETRAN-PR e do Instituto de Identificação. No momento em que o espectador colocar sua digital no leitor biométrico, um conjunto de códigos vai informar se a pessoa é a titular do cartão ou ingresso e também se há contra ela mandado de prisão em aberto ou restrição para entrada no estádio, devido a alguma pena no âmbito do programa Justiça ao Torcedor.

“Não haverá o acesso a esses dados por particulares. A CELEPAR vai disponibilizar um webservice com todos esses dados, de forma que na catraca haverá apenas uma consulta. Se tiver algum mandado em aberto, a Polícia Militar será acionada. No caso de alguma restrição, será impedida sua entrada no estádio”, explicou o juiz auxiliar da 2.ª Vice-Presidência do TJ-PR, Ricardo Ferreira Jentzsch.

Segundo o secretário estadual de Segurança Pública, Wagner Mesquita de Oliveira, o sistema ajudará a prevenir a violência. “O maior ganho para a segurança pública é a prevenção. Com o indivíduo já sabendo que o grau de exigência para que ele adentre ao estádio será maior, que sua identificação será confrontada com dados judiciais e policiais, isso trará imediatamente um aumento de segurança dentro do evento e fora também”.

A previsão é que o sistema com o banco de dados esteja à disposição dos clubes a partir do segundo turno do Campeonato Brasileiro. No Estádio Atlético Paranaense, o acesso biométrico em todos os setores será implantado a partir do dia 15 de agosto.

43922_15004826831_thumb-5-3Créditos: Fabio Wosniak/Site Oficial

ESTÁDIO ATLÉTICO PARANAENSE RECEBE EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA DA CAMPANHA “FURACÃO SOLIDÁRIO”

ESTÁDIO ATLÉTICO PARANAENSE RECEBE EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA DA CAMPANHA “FURACÃO SOLIDÁRIO”

43916_15004155510_thumb-5-3

Para celebrar o Dia Nacional do Futebol, comemorado em 19 de julho, a Fundação do Clube Atlético Paranaense (FunCAP) e a organização social Samaritan’s Feet Brasil inauguram, nesta quarta-feira (19), uma exposição fotográfica no Estádio Atlético Paranaense, evento que marca o início da parceria com a Omar Calçados, que doou 300 pares de chuteiras para a campanha “Furacão Solidário” em conjunto com a Umbro, que ofereceu condições especiais para a compra dos calçados.

Com imagens do fotógrafo Sérgio Vanalli, a mostra retrata o dia a dia das crianças que participam dos projetos sócio esportivos das Escolas Furacão, seus locais de treino, onde vivem e a alegria de jogar bola.

“Para essas crianças, o futebol não é apenas uma brincadeira: é a esperança de uma grande virada. Cada treino pode decidir seu destino e ser, literalmente, o jogo da vida. Esperamos que o nosso país encontre soluções para tanta injustiça e pobreza, e que o futebol não seja apenas uma oportunidade de ascensão social, mas sobretudo alegria, saúde e confraternização”, deseja Wesley Oliveira, diretor da Samaritan’s Feet.

“Furacão Solidário”

A exposição fotográfica faz parte da campanha “Furacão Solidário: Calçar pés para mudar vidas”, lançada há dois meses pela FunCAP em parceria com a Samaritan’s Feet Brasil. Com crowdfunding pela plataforma Kickante, “blitze” em dois jogos do Atlético no Caldeirão e um jantar beneficente, foram arrecadados cerca de R$ 15 mil, que serão destinados à doação de meias e chuteiras para 200 crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social que participam das Escolas Furacão, em Curitiba e Região Metropolitana. Além disso, somaram-se ao projeto 300 chuteiras doadas pela Omar Calçados, que irão beneficiar, ao todo, 500 jovens.

“Conhecemos a Samaritan’s Feet no final de 2016. Depois de alguns meses, fizemos uma pesquisa sobre oportunidades no Terceiro Setor para a Omar Calçados, então entramos em contato com a organização e soubemos da iniciativa junto ao Clube Atlético Paranaense. Não temos o costume de fazer ações voltadas a times de futebol, política ou religião, mas ficamos interessados quando vimos o objetivo da campanha ‘Furacão Solidário’, a forma como foi abordada e seu planejamento. A Omar Calçados tem em seus valores a humildade e a valorização de quem faz por merecer, por isso estamos muito felizes em aderir à campanha”, afirma Guilherme Sanchotene, coordenador de marketing da Omar Calçados.

Exposição fotográfica – Campanha “Furacão Solidário”
Lançamento: Quarta-feira – 19 de julho, a partir das 14h
Local: Estádio Atlético Paranaense – Acesso pelo Furacão Tour
Realização: FunCAP, Omar Calçados e Samaritan’s Feet Brasil
Apoio: Umbro
Como ajudar: doe.samaritansfeet.org.br/furacaosolidario

Sobre a Samaritan’s Feet Brasil

Organização mundial sem fins lucrativos, a Samaritan’s Feet foi fundada em 2003 tendo como objetivo a ousada missão de calçar todas as crianças necessitadas do mundo, além de inspirar nelas a possibilidade de um futuro melhor, através do exemplo samaritano na cerimônia de lava-pés, idealizado por seu fundador, o nigeriano Emmanuel “Manny” Ohonme. A organização está presente em 88 países, conta com o envolvimento de mais de 70 mil voluntários e faz parte da história de mais de 6,6 milhões de crianças ao redor do mundo, expostas a uma série de doenças transmitidas pela água e pelo solo em contato com seus pés descalços. Com sede nacional em Curitiba (PR), a organização atua no Brasil desde 2008, contando com contribuições de pessoas físicas e jurídicas, além de parcerias sociais com empresas. Em 2016, dois mil jovens foram impactados pelas ações da Samaritan’s Feet, com o apoio de 500 voluntários e doações de cinco empresas do setor calçadista.

ESTÁDIO ATLÉTICO PARANAENSE SEDIOU A LIGA MUNDIAL DE VÔLEI

ESTÁDIO ATLÉTICO PARANAENSE SEDIOU A LIGA MUNDIAL DE VÔLEI

Durante cinco dias, o Estádio Atlético Paranaense foi palco de mais um evento internacional. A Liga Mundial de Vôlei reforçou o conceito multiuso do estádio. Cerca de 70 mil pessoas marcaram presença no estádio entre os dias 5 e 8 de julho. A Liga Mundial foi transmitida para mais de 20 países, atingindo milhões de espectadores nos cinco continentes.

Os representantes da Federação Internacional de Voleibol [FIVB] e da Confederação Brasileira de Voleibol [CBV] aprovaram a realização da Liga Mundial no estádio atleticano. Eles elogiaram a estrutura montada e toda a operação do estádio nos cinco dias de jogos.

“A CBV, a FIVB e o Atlético se uniram porque temos aqui o estádio mais moderno do Brasil. Isso facilitou demais a adaptação para receber as finais da Liga Mundial. Felizmente, o Brasil conseguiu corresponder em quadra todo o esforço que foi feito do lado de fora e pudemos ter este público maravilhoso na decisão”, disse o presidente da CBV, Radamés Lattari.

O ex-jogador e campeão olímpico Giba, atual presidente da Comissão de Atletas da FIVB, prometeu trabalhar para que a experiência se repita. “A FIVB está muito feliz. O estádio está maravilhoso e nesta semana fizemos várias ações pela cidade, mostrando para as crianças a importância do vôlei. Temos que agradecer ao Atlético e sua torcida. Lá em Lausanne, na Suíça, vou fazer de tudo para que essa parceria dure por muitos anos”.

Para o presidente do Conselho Administrativo do Atlético Paranaense, Luiz Sallim Emed, foi uma honra para o Clube receber uma das principais competições esportivas do mundo. “É uma situação maravilhosa estar aqui em nosso estádio e ver a concretização do nosso projeto e daquilo que foi idealizado pelo Mario Celso Petraglia. É o Atlético, Curitiba, e o Paraná levando essa maravilha para o mundo todo”, ressaltou.

Além de divulgar o estádio e a marca atleticana para o mundo, o evento foi uma grande oportunidade de promoção e turismo para Curitiba. “Ficou inequívoca a versatilidade do estádio. Foi um evento de grande envergadura, com repercussão global, com cinco dias de elogios e agradecimentos à estrutura oferecida pelo Clube Atlético Paranaense, vindos de todos os setores da FIVB, CBV, imprensa e telespectadores. O retorno para o Clube, para a cidade, para o Estado e para o nosso país é intangível”, destacou o Arquiteto Luiz Volpato.

Para o Secretário Estadual de Esporte e Turismo, Douglas Fabrício, a realização da Liga Mundial foi mais uma prova da importância do legado da Copa do Mundo de 2014 para o Paraná. “Aqui o dinheiro foi muito bem investido. Temos um estádio que todo mundo está utilizando, para os jogos do Atlético e muitos outros eventos, que ajudam a desenvolver o turismo e a trazer renda, recursos e, com isso, empregos para o povo do Paraná”, disse.

O Secretário Municipal do Esporte, Lazer e Juventude, Marcello Richa, disse que a Liga Mundial de Vôlei mostrou que Curitiba tem capacidade para receber grandes eventos. “Com esse torneio, conseguimos engrandecer nossa agenda esportiva e fortalecer o turismo, o que só foi possível graças a parceria entre o poder público, entidades e iniciativa privada”, completou.

Na noite deste sábado (9), a França se sagrou campeã da Liga Mundial 2017, ao vencer o Brasil por 3 sets a 2. Foi o segundo título francês na Liga Mundial, ambos conquistados no Brasil.

Galeria de Fotos:

Créditos: Roberto Souza/Site Oficial

REPORTAGEM DA ESPN DESTACA TECNOLOGIA DO GRAMADO SINTÉTICO DO ATLÉTICO PARANAENSE

REPORTAGEM DA ESPN DESTACA TECNOLOGIA DO GRAMADO SINTÉTICO DO ATLÉTICO PARANAENSE

43780_14991783650_thumb-5-3

O canal de TV por assinatura ESPN produziu uma reportagem, divulgada nesta terça-feira (4), em que destaca a tecnologia do gramado sintético atleticano. A matéria, que conta com a participação do diretor de projetos do Clube, Luiz Volpato, detalha o processo de fabricação e a composição do piso.

A reportagem é a primeira de uma série especial sobre o Rubro-Negro. A segunda matéria enfatizará toda a estrutura oferecida aos atletas profissionais e da Formação no CAT Alfredo Gottardi.

Para assistir ao vídeo sobre o gramado sintético do Atlético Paranaense, na íntegra, clique aqui.